Parque Ecológico de Monte Alegre – Com 11.196 hectares, dos quais 7.883 são formados por matas de araucária, o parque é a principal estrutura de apoio às atividades de manejo ambiental da Fazenda Monte Alegre, no Paraná. Criado em 1980, tem por objetivos a manutenção e conservação da fauna e flora regional, por meio de estudos científicos nos diversos ecossistemas do local; o desenvolvimento de trabalhos de reprodução de animais silvestres ameaçados de extinção; e promoção da educação ambiental para estudantes das escolas da região, colaboradores da empresa e comunidade em geral. Em 2012, a gestão do parque foi transferida para a área de Sustentabilidade e Comunicação.

Dentro das instalações do parque há:

  • Criadouro Científico – composto por 22 recintos para mamíferos, 14 para aves e um serpentário para cobras vivas não venenosas, abrigando um total de 228 animais. Tem área de apoio com 11 recintos de isolamento destinados ao tratamento e recuperação de animais enfermos.
  • Acervo Biológico Regional – com 70 m2, contando com aproximadamente 600 peças, sendo 165 animais taxidermizados, 25 esqueletos, 110 crânios, 150 peças preservadas em meio líquido e 150 peças variadas, compostas por um banco de sementes e fósseis, além de insetário, coleção de excicatas, carpoteca e xiloteca da flora arbórea da Fazenda Monte Alegre.
  • Centro de Interpretação da Natureza Frans Krajcberg – abriga um auditório para 66 pessoas, uma exposição de animais taxidermizados, peças de apreciação cultural e uma sala de atividades para uso de escolas e de diversos programas socioambientais.
  • Ala de Apoio Veterinário e Biológico – composto, dentre outros, por sala de tratamento veterinário, Biotério e cozinha para desenvolvimento de dietas, alem de um setor de manejo e monitoramento de fauna.
  • Centro Administrativo – núcleo de controle de documentação, informações e gestão do parque.
  • Ciclovia Harmonia – ligando o bairro de Harmonia ao Parque Ecológico, tem percurso de 3.100 metros e livre utilização por ciclistas e pedestres. A alameda permite o acesso da comunidade à área de preservação da fazenda Monte Alegre, passando pelo interior da floresta e áreas de campo nativo com placas de sinalização educativa.
  • Herbário – criado em 2002, conta com 2.249 exemplares classificados, sendo que 1.078 correspondem a coletas realizadas na própria fazenda. Desse total, que representa 150 famílias botânicas, estão registradas 628 espécies arbóreas, 939 arbustivas e 682 herbáceas. A iniciativa tem por objetivo estudar e acompanhar a diversidade de espécies botânicas da região.

Pesquisa em Vida Silvestre – mantido desde 1991, é um sistema de visualização de animais silvestres por meio do qual são obtidas informações sobre a fauna nativa. O sistema é alimentado por fichas preenchidas por colaboradores que observam algum animal silvestre nas áreas da empresa. Em 2012, foram recebidas 1.337 fichas relatando a visualização de 2.705 animais de 55 espécies. Frequentemente são identificadas presenças de animais ameaçados de extinção, como tamanduá-bandeira, lobo-guará e puma.

Programa Matas Legais – Mantido em parceria com a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) e destinado a pequenos e médios proprietários rurais, o programa tem como objetivo desenvolver ações de conservação, educação ambiental e fomento florestal que ajudem a preservar e recuperar os remanescentes florestais nativos, a melhorar a qualidade de vida da população e a aprimorar o desenvolvimento florestal, tendo como base o planejamento de propriedades e paisagens.