A BSD Consulting realizou o processo de verificação independente do processo de elaboração do Relatório de Sustentabilidade de 2012 da Klabin, desenvolvido de acordo com as diretrizes da GRI G3.1 (Global Reporting Initiative). O processo de verificação aconteceu pelo terceiro ano consecutivo e tem o objetivo de proporcionar às partes interessadas da Klabin uma opinião independente sobre: a qualidade do relatório; os processos de engajamento com stakeholders; a aderência aos princípios da AA1000AS 2008; e a gestão de sustentabilidade da companhia.

Independência
Trabalhamos de forma independente e asseguramos que nenhum integrante da BSD mantém contratos de consultoria ou outros vínculos comerciais com a Klabin. A BSD Consulting é licenciada pela AccountAbility como provedor de garantia (AA1000 Licensed Assurance Provider), sob o registro 000-33.

Nossa Competência
A BSD Consulting é uma empresa especializada em sustentabilidade. Os trabalhos foram conduzidos por uma equipe de profissionais experientes e capacitados em processos de verificação externa.

Responsabilidades da Klabin e da BSD
A elaboração do Relatório de Sustentabilidade, bem como a definição de seu conteúdo é de responsabilidade da Klabin. A avaliação do relatório e a conferência do nível de aplicação das diretrizes GRI G3.1 foram objeto de trabalho da BSD. A verificação de dados financeiros não foi objeto dos trabalhos da BSD Consulting.

Escopo e Limitações
O escopo de nossos trabalhos inclui as informações da versão completa do Relatório de Sustentabilidade 2012 da Klabin, no período coberto pelo relatório de 01 de janeiro de 2012 a 31 de dezembro de 2012.

O processo de verificação independente foi conduzido de acordo com o padrão AA1000AS 2008 (AA1000 Assurance Standard 2008), na condição de verificação do Tipo 1, proporcionando um nível moderado de assurance. Os objetivos da Declaração de Garantia são de informar às partes interessadas as conclusões da BSD sobre o processo que abrange a avaliação da aderência do processo de prestação de contas da Klabin aos três princípios: Inclusão, Materialidade e Capacidade de Resposta. A verificação de dados financeiros não foi objeto dos trabalhos da BSD Consulting.

Metodologia

A abordagem de verificação do processo AA1000 consistiu em:

  • Avaliação do conteúdo do Relatório de Sustentabilidade 2012;
  • Entendimento do fluxo dos processos de obtenção e geração das informações para o Relatório de Sustentabilidade;
  • Pesquisa de informações públicas sobre o setor e a companhia (imprensa, sites e bases legais);
  • Entrevistas com gestores de áreas-chave em relação à relevância das informações para o relato e gestão da sustentabilidade;
  • Quando relevante, confirmação de informações sobre o desempenho de sustentabilidade com o entendimento do corpo diretivo da empresa;
  • Revisão das evidências das consultas a stakeholders externos;
  • Análise da relevância das informações do Relatório de Sustentabilidade do ponto de vista de públicos externos;
  • Com base em testes amostrais, confirmação de informações do Relatório de Sustentabilidade com documentação-suporte, relatórios gerenciais internos e correspondências oficiais;

As atividades deste processo de assurance foram realizadas nos escritórios corporativos em São Paulo – SP, e na unidade de papel e embalagem de Otacílio Costa – SC.

Principais Conclusões sobre a Aderência aos Princípios AA1000AS (2008)

Inclusão – aborda a participação de stakeholders no desenvolvimento de um processo de gestão de sustentabilidade transparente e estratégico.

  • Foi criado um sistema de governança de sustentabilidade, que conta com um Comitê de Sustentabilidade (CEO e diretoria), Comissão de Sustentabilidade (com membros de áreas internas: Ambiental, Comunicação, Sustentabilidade, Supply Chain, Relações com Investidores e Gente e Gestão) e Gerência de Sustentabilidade, que demonstra maior alinhamento das questões de sustentabilidade em toda a empresa.
  • O processo de consulta aos públicos de relacionamento da Klabin foi realizado no final de 2011 e início de 2012. A consulta, em formato de painel, reuniu o público interno, fornecedores, governo, clientes, instituições financeiras e ONGs. É importante que a empresa demonstre com clareza os critérios utilizados para a priorização de stakeholders consultados. Recomenda-se uma sistematização do processo, incluindo critérios específicos para identificação, seleção e priorização das partes interessadas a serem consultadas, tanto para público interno como externo.
  • Os processos de consulta podem ser ampliados para as unidades operacionais. O público interno das unidades, em especial as equipes locais de sustentabilidade, devem ser capacitadas para compreender demandas de stakeholders de cada localidade e analisa-las apropriadamente.
  • A Klabin participa de fóruns de discussão de assuntos relevantes para o setor, que incluem questões de sustentabilidade. Recomenda-se apresentar como a Klabin aplica os resultados desses processos de diálogo na evolução de sua gestão e processos de sustentabilidade.

Materialidade (ou Relevância) – assuntos necessários para que os stakeholders tomem conclusões sobre o desempenho econômico, social e ambiental da organização.

  • O resultado do processo de definição da materialidade, realizado por meio de painel de consulta a stakeholders, teve foco na identificação do conteúdo do relatório de sustentabilidade. Recomenda-se utilizar os resultados do processo de consulta também para definições internas da estratégia e gestão da empresa, com foco nas demandas e oportunidades de melhorias,
  • Os temas relevantes, resultantes do processo de materialidade, são genéricos, como, conformidade, direitos humanos, biodiversidade, saúde e segurança, qualidade, controle ambiental e relacionamento com clientes. Recomenda-se que temas específicos para o setor sejam avaliados no processo, assim como o tratamento de temas regionais, de acordo com o contexto de cada unidade e atividade da organização (florestal, celulose e papel, embalagem, papel cartão).
  • É importante incorporar ao processo de definição de materialidade temas provenientes de outras fontes de informação, tais como, demandas de partes interessadas identificadas através de canais de comunicação existentes na Klabin, normas e regulamentos, auditorias internas e externas, mídia, estudos setoriais, realizados por especialistas, informações públicas sobre a empresa e outras fontes relevantes.
  • O relatório pode demonstrar com mais profundidade temas considerados de alta materialidade como: direitos humanos, comportamento ético e critérios socioambientais na seleção de fornecedores. Além disso, a empresa pode apresentar no relatório o seu posicionamento sobre temas públicos relacionados à Klabin, como por exemplo, processo e denúncias .

Capacidade de Resposta – aborda as ações tomadas pela organização em decorrência de demandas específicas de stakeholders.

  • A área de Sustentabilidade da Klabin foi criada em 2012 na Klabin e está em processo de estruturação e definição de sua estratégia. É importante o envolvimento da liderança na definição dos compromissos estratégicos de sustentabilidade, com objetivos claros para a área e empresa.  A revisão da Política de Sustentabilidade, assim como da missão e visão da área, irão contribuir como o direcionamento estratégico.
  • A gestão de riscos está focada em questões financeiras e operacionais. É importante que sejam desenvolvidos processos de avaliação de riscos socioambientais para a Klabin, incluindo, por exemplo, riscos da cadeia de fornecedores, considerando as operações florestal, logística e aquisição de bens, materiais e insumos. Neste sentido, é recomendado o desenvolvimento de ferramentas de análise de criticidade, processos e critérios de seleção, indicadores e monitoramento dos fornecedores.
  • A Klabin vem ampliando, ao longo dos anos, seu programa de “primarização” de mão-de-obra na operação Florestal, o que diminui o risco social relacionado à contratação de terceiros na cadeia de fornecedores de madeira.
  • Em parceria com a FSC Brasil, a Klabin iniciou um programa de incentivo à certificação de pequenos produtores, o que beneficia o acesso ao mercado estrangeiro. A Klabin apoia o desenvolvimento de fornecedores locais nas atividades florestais do Paraná e Santa Catarina. É recomendado que os impactos positivos dessa parceria sejam monitorados, a fim de identificar os benefícios gerados, como por exemplo, número de propriedades certificadas, volume de negócios e melhoria dos aspectos socioambientais das propriedades.
  • A questão de saúde e segurança é uma diretriz corporativa, e possui um programa estruturado em fundamentos e ferramentas. No entanto, o programa ainda não está implementado em todas as unidades da Klabin. Recomenda-se definir uma meta clara para implantação total do programa.
  • As metas e objetivos de sustentabilidade da Klabin estão alinhados com a estratégia de negócios, com maior foco em redução de custos e do consumo de recursos naturais. Porém, é importante que sejam alinhados aos demais temas materiais e aos desafios futuros, como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Programa de Fomento, gestão da cadeia de fornecedores, biodiversidade e saúde e segurança ocupacional, reforçando o compromisso com a gestão estratégica de sustentabilidade.

Nível de Aplicação GRI G3.1

Seguindo as orientações das diretrizes GRI G3.1, a BSD declara que o relatório de sustentabilidade de 2012 da Klabin S.A. é classificado como Nível de Aplicação B+. O relatório aborda os itens relacionados ao perfil da empresa e informações relacionadas a todas as categorias, aspectos e indicadores: econômico, ambiental, direitos humanos, práticas trabalhistas, sociedade e responsabilidade pelo produto.

Considerações Finais

De acordo com a avaliação da BSD Consulting, a gestão da sustentabilidade está se consolidando através do fortalecimento de sua estrutura de gestão de sustentabilidade, destacando-se a criação da área de Sustentabilidade, do Comitê de Sustentabilidade e da Comissão de Sustentabilidade. No entanto, é necessário evoluir na definição de objetivos estratégicos de sustentabilidade para a empresa, para implementar  processos e práticas alinhadas aos interesses da organização.

 

São Paulo, 21 de Junho de 2013.

BSD Consulting – Brasil